09 maio 2014

Um lugar ao sol



Revirando aqui nos arquivos antigos do PC achei essa mensagem que havia escrito a tempos e não me lembro ao certo a ocasião, mas lembro que escrevi tendo em mente a lei da evolução através da reencarnação. Resolvi compartilhar com vocês aqui.

O mais ignorante entre os ignorantes caminhará um dia junto aos mais sábios.
Por mais cruel e violento que seja hoje, um dia nos explicará na íntegra o verdadeiro significado do amor.
Se acha que está enclausurado e sem saída pra nada, com certeza no futuro descobrirá que sempre foi livre.
Ao reclamar da vida alegando que tudo é difícil e desgastante, saiba que o real valor de tudo isso virá à tona quando olhar pra trás e colocar na balança as perdas e os ganhos, principalmente os morais, pois são eternos.
Mal sabe que as lágrimas escorridas de hoje estão lavando o caminho a ser seguido amanhã.
Não importa o caminho que escolha a percorrer, um dia descobrirá que sempre soube aonde ir.
Se acha que o mundo está confuso, saiba que tudo está no seu devido lugar, pois as leis de Deus são imutáveis.

O motivo desta mensagem? É mostrar a você, quem quer que seja, que é muito mais importante do que pensa ser, que um dia também saberá que o seu lugar ao sol sempre esteve lá.

11 março 2014

III Encontro Espirita da AFA e GEIG


A Academia da Força Aérea em parceria com o Grupo Espirita Irmão Gabriel está com inscrições abertas para o 3º Encontro Espírita da AFA e GEIG, em Pirassununga (SP).

O evento acontece nos dias 26 e 27 de abril deste ano e terá como tema geral “Brasil Coração do Mundo, Pátria do Evangelho” com palestras, apresentações musicais, e visitação a estandes com livros, CDs, DVDs etc.

Foto Oficial do encontro espírita do ano de 2013
Entre os nomes dos palestrantes estão André Luiz Ruiz, Suely Caldas, Décio Iandoli, Sérgio Lopes e Geraldo Lemos. Já quanto às apresentações musicais temos Sérgio Santos, Margarete Áquilla, Paula Zamp e Banda Sinfônica da AFA.

Aqui vale ressaltar que após as apresentações haverá tempo para lanche fraterno em que os participantes tem a chance de visitar os estandes e conhecer novas pessoas e trocar experiências. Todas essas despesas de alimentação são cobertas pela taxa de inscrição.

Além das atrações, a organização do evento está fazendo a mediação para uma sistema de “carona” com pessoas que moram em outras cidades, mas para isso é necessário entrar em contato com os organizadores. Conforme informa o site:

Caso você necessite ou queira oferecer carona, nós podemos fazer a ligação entre as duas partes. Fornecer carona: por favor informe-nos sua cidade e quantas vagas tem disponíveis em seu veículo. Interessado em carona: por favor informe-nos sua cidade e quantas vagas necessita.
OBS.: Caso você possua um ônibus ou van, ou qualquer outro veículo de grande capacidade, e queira levar mais pessoas, por favor entre em contato conosco pelo email grupoespiritairmaogabriel@gmail.com ou pelo telefone (19) 9 8299-9193 – Renato”.

Para conhecer a programação completa e ter outros detalhes do evento acesse o site 3º Encontro Espírita da AFA e GEIG.

07 fevereiro 2014

Oração Fraternal


Irmão nosso, que estás na Terra, Glorificada seja a tua vontade, em favor do Infinito bem.
Trabalha incessantemente pelo Reino Divino, com tua cooperação espontânea.
Seja atendida a tua aspiração elevada, com esquecimento de todos os caprichos.
Tanto no lar da Carne, quanto no Templo do Universo.
O pão nosso de cada dia, que vem do Celeiro, usa com respeito e divide santamente.
Desculpa nossas faltas para contigo, assim como o Eterno Pai tem perdoado nossas dívidas em comum.
Não permitas que a tua existência se perca pela tentação dos maus pensamentos.
Livra-te dos males que procedem do próprio coração.
Porque te pertence, agora, a gloriosa oportunidade de elevação para o reino do poder, da justiça, da paz, da glória e do amor para sempre.

Emmanuel por meio da psicografia de Francisco Cândido Xavier
Essa mensagem está contida em panfletos ofertados e distribuídos pelo Grupo Espírita “Os Mensageiros”

15 janeiro 2014

Criações de Deus



Sempre que pensamos em buscar respostas para questionamentos existenciais geralmente partimos de algumas perguntas como: de onde eu vim? para onde vou? porque estou aqui?

Quem acredita na existência de algo além da matéria, como na alma, vê em Deus essas respostas, porém se deixarmos de pensar logicamente nas razões de nossas existência isso passa a ser algo fantástico e não natural.

No entanto, o Espiritismo veio para explicar muita coisa que antes não podíamos entender, inclusive traz em suas primeiras questões as respostas sobre Deus. Segundo a Doutrina Espírita, Deus é a inteligência suprema, a causa primária de tudo, ou seja, ele é a única coisa que existiu, existe e continuará a existir, portanto Ele é eterno.

Porém a Doutrina também nos ensina que somos obras de Deus e estamos em processo de evolução, como elucida parte da resposta da Questão 115 de O Livro dos Espíritos:

“Deus criou todos os Espíritos simples e ignorantes, isto é, sem saber. A cada um deu determinada missão, com o fim de esclarecê-los e de os fazer chegar progressivamente à perfeição, pelo conhecimento da verdade, para aproximá-los de Si. Nesta perfeição é que eles encontram a pura e eterna felicidade.”

Dessa forma, vemos que embora haja uma grande ligação com o Criador também há uma grande diferença entre Deus e nós quando falamos em essência. Enquanto Ele é eterno, nós somos imortais, ou seja, tivemos um começo e teremos um fim (perfeição). Vale ressaltar que o fim aqui não tem conotação de extinção, mas sim de alcançar um objetivo.

No entanto isso só resolve parte das nossas perguntas, porque se somos criações de Deus em diversos estágios evolutivos, e sabendo que Ele é toda bondade não privilegiando ninguém, então quando tudo isso começou? E além: fomos criados todos juntos?

Correlação
Para responder isso é necessário compreender como vemos o mundo. Nós vivemos numa realidade em que tudo é dividido de acordo com marcações de tempo e espaço. Para determinar que horas são usamos o dia e noite, e dividimos esses dois fenômenos em frações de tempo (no caso falamos em horas) e com isso falamos se é muito cedo ou tarde de acordo com essa convenção.

Porém essa concepção é baseada num deslocamento. O movimento de rotação que a Terra faz em torno do seu próprio eixo é que deixa um lado do planeta iluminado pelo Sol (dia) e o outro não (noite), portanto para determinar o tempo é necessário que haja uma relação com o espaço, o lugar.

Simplificando: se a Terra ficasse parada não haveria a alternância entre dia e noite, e com isso não conseguiríamos formular um padrão para marcação de tempo. Outro exemplo é que todos os eventos de nossa realidade estão baseados em lugar e horário, não importa o que seja, sem esses dois componentes não há como identificar ação. Nós só existimos porque estamos vivendo em determinado período de tempo e em algum lugar.

Portanto, apercebemos algo somente quando ocorrem esses dois eventos simultâneos, fornecendo os padrões para identificarmos uma realidade. Então, se não existisse a correlação espaço-tempo não seríamos capazes de formular um mundo.

Aqui pedimos desculpa àqueles mais entendidos do assunto espaço-tempo pelo exemplo singelo, pois a intenção não é discutir conceitos, mas sim mostrar de uma maneira simplificada como estruturamos alguns aspectos de nossa realidade.

E embora haja a teoria da relatividade e a física quântica que nos trazem outros modos de pensar a relação com a realidade, neste texto ficamos por aqui com esses conceitos também pelo mesmo motivo citado anteriormente.

Voltando ao exemplo da Terra, dessa forma percebemos que dividimos os acontecimentos sempre de acordo com o tempo e espaço, na nossa vida, por exemplo, contamos os anos, falamos sobre locais, usando essas referências para contar nosso mundo.

Assim também fazemos com a maneira com que vemos Deus. Se Ele é eterno, não tem começo, meio nem fim, podemos falar que a realidade em que age a consciência Dele é um pouco diferente do que estamos acostumados a perceber, segundo o tempo-espaço, pois Ele ‘quebra’ com essa continuidade.

Imagine o que deve ser o pensamento de Deus. Se Ele não tem início, nem meio, nem fim, ele sempre está agindo. Dessa forma, se tomarmos por conta que somos seres criados a partir da ação (pensamento de Deus), podemos concluir que ele sempre está criando, e assim, os espíritos foram criados em tempos diferentes, de acordo com a nossa descontinuidade espaço-temporal em relação com Deus que vive numa margem diríamos infinita para nossos padrões de compreensão.

A formiga
Para exemplificar esse conceito pensemos em um lápis, porém há uma formiga caminhando por ele. Se girarmos o lápis a formiga vai continuar andando, e para o referencial dela aquele campo vai ser um universo praticamente infinito, embora encontre particularidades, e até pense que aquele mundo seja finito devido a padrões repetidos. Isso acontece porque ela não entende as reais dimensões daquilo, visto que seu referencial está preso aquele mundo.

Porém como estamos segurando o lápis temos a consciência daquele universo e do que o circunda, portanto estamos trabalhando com padrões desconhecidos por ela, portanto olhamos para aquele lápis como se fôssemos Deus.

Agora colocamos outra formiga neste lápis, nós sabemos de onde veio e para onde foi, mas para aquela primeira formiga que já estava no lápis aquilo foi criado a partir do nada, pois não estava na razão que ele conhecia dentro daquele universo.

Esse exemplo é vulgar, mas serve para tentarmos ter ideia de que a nossa concepção de Deus está ligada a forma com que vemos o mundo, inclusive com nossas limitações de pensamento, pois ainda falta muito para compreender a natureza em seus sentidos amplos.

Para ratificar o assunto, aqui está a resposta da pergunta 78 do Livro dos Espíritos (1857) com a explicação de como Deus criou os espíritos:

78. Os Espíritos tiveram princípio, ou existem, como Deus, de toda a eternidade?
“Se não tivessem tido princípio, seriam iguais a Deus, quando, ao invés, são criação Sua e se acham submetidos à Sua vontade. Deus existe de toda a eternidade, é incontestável. Quanto, porém, ao modo porque nos criou e em que momento o fez, nada sabemos. Podes dizer que não tivemos princípio, se quiseres com isso significar que, sendo eterno, Deus há de ter sempre criado ininterruptamente. Mas, quando e como cada um de nós foi feito, repito-te, nenhum o sabe: aí é que está o mistério.”

16 dezembro 2013

"Deus conosco"


O livro "Deus Conosco", uma coletânea de mensagens do espírito Emmanuel, psicografadas por Chico Xavier entre as décadas de 1930 a 1950, reúne uma série de escritos recebidos em contexto familiar de valioso conteúdo histórico e doutrinário. As mensagens versam sobre temas cotidianos, sobre os novos livros recebidos por Chico, os caminhos que o movimento tomava à época e orientações pessoais à algum conhecido que frequentava as sessões.

As mensagens foram guardadas todo esse tempo por Wanda Joviano, filha de Rômulo Joviano, patrão de Chico que muito auxiliou o então novato médium a organizar as mensagens e os livros que recebia do Além. No plano espiritual a família Joviano também não descansava. O espírito Neio Lúcio era na verdade Arthur Joviano, avô de Wanda que se comunicava aos familiares e transmitiu uma grande gama de ensinamentos evangélicos. Seu livro mais conhecido é "Jesus no Lar", publicado pela FEB.

É interessante observar ao longo das 600 páginas do livro o desenvolvimento do movimento espírita e a mediunidade cada vez mais sofisticada de Chico Xavier. O livro traz ainda várias informações históricas sobre Emmanuel, um resumo de suas reencarnações e uma farta bibliografia de apoio mostrando grande senso de responsabilidade dos organizadores, Wanda Joviano e Geraldo Lemos, que se esforçaram por indicar fontes de todas as informações e relatos de testemunhas.
Trata-se, portanto, de um livro fundamental a todos os interessados no movimento espírita e que traz consolo e orientação com a escrita fraterna e sublime de Emmanuel.

"Deus Conosco", pelo Espírito Emmanuel e psicografado por Francisco Cândido Xavier. Organizado por Wanda Joviano e Geraldo Lemos. Editora Vinha de Luz, 2007